terça-feira, 5 de julho de 2016

Caixinha de música - Oonagh

Saudações, queridos 1d4-1 leitores! Pois é, faz milênios que não passo por aqui, eu sei, mas o motivo tem um nome: Festival Cultural do colégio. Desde maio eu e todos os meus colegas do sexto ano estamos enlouquecendo para dar conta de todas as atividades que o colégio propõe. Para vocês terem uma ideia, nós temos que escrever uma peça de uma hora que englobe todos os alunos das cinco turmas (são mais de cem), ir atrás de figurino, músicas, cenário... enfim, é muita coisa, e mal houve tempo para respirar ou escrever algo que não fosse Sombra e Sol (minha nova história lá no wattpad, para quem não sabe). Obviamente, por conta do stress e do frio (ODEIO FRIO) já estou na minha terceira gripe desde maio (ou seria uma só, recorrente e mal curada?). De qualquer maneira, as férias chegaram, então bora falar de coisa boa!

(Ainda vou falar do festival aqui e do que aprontei, porque envolve Cavaleiros do Zodíaco, fantasias de EVA e alunos fofos fazendo katas de karatê. Mas hoje não!). 

Dia desses, nas minhas andanças pelo YouTube, quis saber como andava o status das Celtic Woman e descobri um clipe fofinho delas, com a música Tír na nÓg. O clipe conta com a participação de uma tal Oonagh e como eu curti a voz e a empolgação da moça, fui saber quem ela era.

Pois bem. Descobri que Oonagh é uma alemã (mais jovem que eu, aliás, oh, inveja!) que faz muito sucesso por lá cantando seu pop meio world music, meio new age, meio trilha sonora de O Senhor dos Anéis. 


Ela tem letras em alemão, mas também canta em élfico e fala sobre a Terra-Média e coisas afins. Já não basta a Alemanha ter nos dado Blind Guardian e Van Canto, eles ainda me vêm com essa.



E esse cenário? O refrão da música é em Quenya, gente, QUENYA. Isso toca na rádio alemã! Eu imagino se o Tolkien algum dia imaginou que sua língua estaria no topo das paradas.

(Enquanto isso, temos Camaro Amarelo ou coisa parecida nas paradas brasileiras, snif! Eu não sou de ficar reclamando e desprezando as coisas do meu país, mas PÔ, gente, chega de sertanejo universitário e funk! TEM GENTE CANTANDO EM QUENYA E VOCÊS ME TORTURANDO COM "BAILE DE FAVELA" EM QUALQUER FORMATURA OU FESTA QUE TENHO QUE IR! EU NÃO AGUENTO MAIS WESLEY SAFADÃO! EU NÃO QUERO MAIS SABER QUANTOS PORCENTO O CARA TEM DE ANJO OU VAGABUNDO! AAAAAAAAH!).

Caham. Continuemos...



A música chama Oromë, que é o Valar das florestas e animais na obra do Tolkien. Mais uma vez, isso é mainstream e toca na rádio alemã. Eu ainda fico meio besta de pensar nisso.

(HAHAHAHAHAHAHA, alguém acabou de passar com o som alto tocando Wesley Safadão na rua de casa!! Isso é karma, gente XD).

Enfim, nem só de Tolkien vive a moça. O estilo dela é esse, na beiradinha do new age (eu adoro, ok? Ok.), mas para quem quiser, tem até música em Quechuá... (esta é uma das minha favoritas... Ananau, inclusive, não é dela, é do grupo Alborada, mas eu amei a adaptação e, como os direitos estão sendo pagos... valeu!).




(Liége dança batendo os pezinhos em casa).

É isso, gente. Só queria apresentar a Oonagh para vocês, cujo nome real é Senta-Sofia. Já estou pensando em como usar uma destas músicas no próximo Festival Cultural do colégio XD....