terça-feira, 15 de março de 2016

Caixinha de música - A trilha (medieval/renascentista) de "A Muralha" - parte II

Ontem falei que começaria a minha série sobre a trilha de "A Muralha" com os temas de casais. Certamente as melodias que embalavam os enamorados da série estavam entre as que mais se repetiam durante os capítulos e eram todas - a meu ver - lindas.

"A Muralha" tem vários casais e histórias de amor, algumas bem trágicas. Quando eu tinha doze anos, meu casal favorito era, com certeza, Dom Guilherme (Alexandre Borges, muito simpático no papel), um verdadeiro bardo de bom coração e Dona Ana (Letícia Sabatella, linda), a judia que veio de Portugal para se casar com Dom Jerônimo Taveira (GAAAAAH, o desespero que eu tenho deste personagem!! O ASCO! Tarcísio Meira fez um excelente trabalho) e assim tentar salvar seu pai das fogueiras da inquisição. A história deles com certeza era a mais dramática e romântica... e até hoje eles seguem sendo meus favoritos, talvez por conta da nostalgia (mas Ana sofre demais, pobrezinha!). 

Não é a melhor imagem de nenhum dos dois, mas foi a única em que os encontrei juntos! 

A música deles também era a minha preferida, na época (e a da minha família). Era verdadeiramente linda e tinha duas versões: 



Uma com alaúde ou algum outro instrumento de cordas, combinando bem com o romântico Dom Guilherme.


 

E esta, mais suave, com predomínio da flauta ♥. Pois bem. Depois de muita procura, descobri que a música é de 1675 e se chama Españoleta. Pelo que li, parece se tratar de uma "romanesca", um estilo de música da época (creio que é isso mesmo. Dizem que "Greensleeves" é uma romanesca e o estilo é parecido, não?). Note que o segundo vídeo acima tem este nome no título porque ele é meu e eu o adicionei depois da descoberta XD. A música é atribuída a Gaspar Sanz (1640-1710), compositor e violonista espanhol.


 

Este arranjo é bem parecido com o usado em "A Muralha"...

 

 Mas também temos interpretações mais complexas. Uma música muito linda...

Iupi!! Vamos à próxima. Um outro casal que me deixava muito emocionada era Leonel (Leonardo Medeiros) e Margarida (Maria Luiza Mendonça). Leonel fez uma coisa muito questionável durante a série, mas ele realmente amava sua esposa, que era praticamente uma fada do campo. Margarida era doce, suave, amava os animais, as flores... e fazia poesia. Eu AMAVA suas roupas leves, seus arranjos de cabelo e seu jardim de rosas e me identificava horrores com ela.

Não achei foto de Margarida e Leonel juntos, snif. Fiquemos apenas com Margarida. 


O maior desejo da moça era ter um filho, mas ela era estéril. A história dos dois foi uma das que mais me fez chorar, e hoje a música tema de Margarida e Leonel (mas principalmente dela, que era uma rosa...) é a minha favorita (o vídeo abaixo também é meu ♥). 




MEU DEUS, QUE MÚSICA LINDA, MEU DEUS!

Foi com muita alegria que descobri que esta pérola musical é uma canção sefardita. Os sefarditas são os judeus de Portugal e Espanha e este pessoal fez a linda "La Rosa Enflorece", que, aliás, tem letra em ladino (judeu-espanhol). Se eu tivesse que escolher um tema para minha vida... (mentira, jamais conseguiria escolher um só, mas "La Rosa Enflorece", também conhecida como "Los bilbilicos" - os rouxinóis - estaria bem cotada). BEHOLD:



 A letra está aqui. Dá para entender.

Tem até versão metal, gente:





Só depois de saber a letra e escutar a "versão original" eu percebi o quanto a escolha da música foi extremamente feliz e cuidadosa. Combinava muito com a Margarida. Mas vamos parar aqui antes que eu poste todas as versões do You Tube. 

Prossigamos para o próximo casal que definitivamente não era o meu favorito, mas que tinha uma música muito bonita também. O cafajeste Bento Coutinho (Caco Ciocler), comparsa de Dom Jerônimo e posterior herói trágico e Rosália (Regiane Alves), a filha mais jovem de Dom Braz Olinto, patriarca de Lagoa Serena.



A história também é de fazer o ♥ partir em pequenos cacos e a música só ajuda no drama: 

09.Rosália e Bento.mp3 - pode clicar e ouvir, gente. O arquivo é meu.

Pois bem. Esta linda e tristonha musiquinha chama-se "Adio Kerida", também é uma melodia sefardita com letra em ladino e é ultra trágica. A minha versão favorita é esta, interpretada por Yasmin Levy:




A letra também combina muito com os personagens, pois fala de uma história de amor trágica. Basicamente, um homem está dando adeus para a amada, dizendo que não quer mais a vida, pois a mulher a amargou. Mais uma vez vemos que o trabalho de pesquisa e escolha das canções foi muito sensível. A equipe de "A Muralha" está de parabéns. Merece não só palmas, mas o Tocantins inteiro (lágrimas). 

Por último, outro casal trágico, Basília (Débora Evelyn) e Afonso (Celso Frateschi). Os dois já eram casados e a mulher culpava o marido por ter perdido o filho deles em uma das suas incursões pelo sertão. Outra história melancólica, mas me lembro que a música dos dois era muito suave e evocava muito bem toda a solidão de Basília e de seu companheiro. 


Infelizmente não tenho o arquivo da versão de "A Muralha" para vocês, mas descobri que a música se chama "Si la noche haze escura" e é atribuída a Francisco Guerrero (1528-1599). Novamente, uma escolha muito acertada. A letra fala sobre uma mulher que espera pelo amado em uma noite escura e solitária; a personagem certamente combina com tal imagem, já que passa grande parte da série esperando pela volta do filho e do marido. 




Bem, por hoje ficamos por aqui. Devem estar se perguntando onde está a canção do casal principal da série, Beatriz (Leandra Leal) e Tiago (Leonardo Brício). Pois é. A música deles é linda, mas é uma das que ainda não achei.... mas voltamos a falar dos dois mais tarde. Na semana que vem retorno com mais trilha de "A Muralha" e seus personagens... 

4 comentários:

  1. Sem dúvida alguma, você é uma das maiores bardas de nossa era, minha querida! Foi um verdadeiro trabalho de mestre juntar todas essas melodias em um só lugar. Meus parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdadeira barda eu seria se já soubesse os nomes antes, Odin... não conhecia nada antes disso! Grrrr!

      Excluir
  2. Puxa, Li, que incrível!!! Eu AMO músicas tradicionais da península Ibérica, e dessas todas, a única que eu conhecia bem era a linda La Rosa Enflorece!

    O Odin tem razão, você é uma barda de primeira^^ Para mim, este post foi uma verdadeira arca do tesouro!!!

    Beijos da Amanda^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, eu também as amo, Amanda! É uma música mais linda do que a outra. O pessoal daqueles lados sabe fazer música... ♥. La Rosa Enflorece é uma das coisas mais bonitas que eu já ouvi na vida! Fiquei muito emocionada quando descobri ela, que legal que você já conhecia!

      Se eu sou uma boa barda eu não sei XD, mas tem muito mais de onde essas músicas vieram, hahahaha! Aguardem um montão de músicas lindas :DDDD!! Os cancioneiros destas épocas são mesmo arcas do tesouro ♥.

      Beijos!

      Excluir

Olá, comentários são sempre bem vindos! No entanto, postagens com linguajar muito chulo, caráter ofensivo ou preconceituoso (e todas estas coisas que pessoas adultas são plenamente capazes de evitar) serão apagadas. Trolls, só na mesa de jogo. Obrigada :).