quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

D&D 30 Day Challenge - #Dia25

EITA, pulei mais um dia! Mas eu sou brasileira, não desisto nunca (pfffft!), e aqui estou para o dia 25 do desafio, escolhendo outro favorito!

#Dia 25 - Item mágico favorito.

Existe uma porção de itens mágicos no D&D. Existem aqueles que os livros trazem, mas nós mesmos podemos criar objetos e quinquilharias imbuídas de magia ao mestrar/jogar. O céu é o limite! Contudo, embora haja uma gama infinita de itens mágicos lindos e maravilhosos, o meu favorito é uma coisa bem simples e, digamos... essencial. 

CAJADO DE CURA, CADÊ VOCÊ? EU VIM AQUI MATAR ESSE DRAGÃO/MORTO-VIVO/NECROMANTE/BALOR SÓ PRA TE TER!!!

Me dá o cajado de cura! NÃO, É MEU!!! CURAAAA!

Só quem já jogou sem um clérigo (ou outra classe que tenha a mesma habilidade) no grupo sabe o quanto faz falta não ter alguém/alguma coisa para curar. Sem curas, a taxa de mortalidade do grupo sobe às alturas. Como eu curto muito jogar com duas classes que têm este poder, o bardo e o clérigo, vira e mexe sou a caixa de band aid do grupo. 

É muito complicado ser o indivíduo responsável pelos ferimentos dos outros personagens. Nos primeiros níveis, mesmo um clérigo totalmente voltado para isso tem poucas magias de cura disponíveis, portanto, cada combate é uma sofrência. A mecânica de descanso curto/descanso longo da quinta edição ajuda bastante a vida dos sacerdotes e outras classes com habilidades medicinais, mas ainda assim, quando todo mundo começa a cair no combate, é para VOCÊ, ser que cura, que os jogadores vão olhar, pidonchos, sedentos pelos pontos de vida que se esvaem.  

Clériga/barda/paladina/druida, me cura, POR FAVOOOOR!
Fora que a questão dos testes de morte na quinta edição deixa a coisa ainda mais aflitiva. Eles funcionam assim: se a gente perde a consciência no combate (ou seja, chega a 0 ou menos pontos de vida), rola o d20 três vezes. Números abaixo de dez são falhas, acima, sucessos. Três falhas: morreu. Três sucessos: estabilizou. Críticos (20 no dado) contam como dois sucessos, e tirar 1 no dado implica em duas falhas. IMAGINA A TENSÃO. Se por um lado a gente pode se estabilizar sem curas, por outro, a gente pode morrer bem rápido. Se não curar e falhar três vezes, poft! Adeus, personagem!

Tudo isso só para dizer o seguinte: quando eu encontro um cajado de cura no tesouro de uma criatura, é como se os céus estivessem se abrindo. Curas são a vida do grupo. LITERALMENTE. Um cajado com 50 cargas de uma magia que recupera pontos de vida é MUITO útil. Mesmo que se tenha um clérigo da cura dentro do grupo, as magias acabam rápido, principalmente em uma aventura com bastante combate. 

Cajados de cura: sem vocês, estaríamos perdidos. 

4 comentários:

  1. É verdade... eu gosto muito de guerreiros, e por isso, seria natural que meus itens favoritos fossem armas ou armaduras, mas concordo que meu item mágico favorito é o cajado de cura. Espadas, varinhas, etc podem ser muito interessantes, mas são inúteis caso os personagens estejam caídos no chão.

    Que venham os cajados de cura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? No meu caso, não tenho nem crise, Odin. Sou fascinada pelo poder da cura. Se eu fosse escolher qualquer habilidade para ter, seria essa :D. Quando mais jovem eu sonhava em ser uma mutante dos X man com poder de curar as outras pessoas XD.

      Excluir
  2. Puxa, eu sei que o cajado de cura é muito mais útil, mas meu item mágico favorito é...

    O BASTÃO DAS MARAVILHAS!!! Ele às vezes é inútil, e dependendo da situação, até atrapalha, mas é a cara do chapéu do Presto na Caverna do Dragão... Não tem como um desses estar na aventura e todos rirem muito!!!

    Beijos da Amanda^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahaha, Amanda, eu fiquei entre o cajado de cura e o bastão das maravilhas!! Ele é maravilhoso! Uma vez nós rolamos o tesouro aleatoriamente nos dados e eu fui tão bem que acabei conseguindo um item maravilhoso! Que que eu tirei? Um bastão das maravilhas! Para melhorar, eu era uma ladina/barda, então imagina o que eu não fiz com ele! Me lembro de ter soltado um rinoceronte em um castelo e acabado com a furtividade do grupo XD. Mas, ao mesmo tempo, uma vez invoquei um fogo das fadas em um inimigo invisível (na total aleatoriedade) e acabei me salvando de ser morta. É muito legal esse bastão, porque, como você disse, ele pode ser completamente inútil e atrapalhar ou salvar a pele de todo mundo! É o chapéu do Presto mesmo! O bastão das maravilhas com certeza é minha segunda opção!

      Beijos!

      Excluir

Olá, comentários são sempre bem vindos! No entanto, postagens com linguajar muito chulo, caráter ofensivo ou preconceituoso (e todas estas coisas que pessoas adultas são plenamente capazes de evitar) serão apagadas. Trolls, só na mesa de jogo. Obrigada :).