domingo, 21 de fevereiro de 2016

D&D 30 Day Challenge - #Dia22

Eita final de semana cheio! Mas aqui estou eu, nos últimos minutos do segundo tempo, para fazer a postagem do dia 22 do desafio! E ainda estamos falando sobre monstros...

#Dia 22 - Monstro favorito de modo geral

Lembram que eu disse que deixaria um extraplanar para outro dia? Pois é, senhoras e senhores. Deixei esse cara para hoje porque ele é o meu monstro favorito, a criatura que sempre me faz tremer nas bases quando aparece. Baseado no tenebroso Balrog de O Senhor dos Anéis, o ganhador do desafio 22 é um dos capirotos mais imponentes do D&D, o temível Balor.


No meu imaginário, não existe figura mais assustadora e que melhor personifica o conceito de mal do que um demônio. O Balor, feito de escuridão e fogo, é uma figura tanto fascinante quanto assustadora. Talvez eu tenha esta "preferência" porque desde pequena fui confrontada com um vilão dos vilões destes: o temível Chernabog de "Fantasia":


Fantasia é uma animação da Disney de 1942, uma bela sucessão de pequenos curtas lindamente desenhados e produzidos, todos acompanhados por música clássica. O último figurava esse diabão aí de cima. Por incrível que pareça, eu nunca tive medo, mesmo tendo visto o desenho bem pequena. É que, no final, a luz triunfava ao som da linda Ave Maria de Schubert, e era isso que eu achava tão legal! Os demônios, assim como os anjos, trazem essa ideia mais clássica de batalha entre luz e sombras, e por isso eu "curto" quando eles aparecem na aventura e temos que derrotá-los. Quando é um Balor, então... quem não treme? Chicote de fogo, espada (antes vorpal! Cabeças rolavam), força bruta e uma cara feia para ninguém botar defeito. São inimigos extremamente difíceis e que sempre resultam em combates memoráveis.

Tenho uma memória muito legal em relação aos balores. Quando joguei com a Astreya, minha personagem favorita, usávamos a edição 3.5 do D&D. Quem joga sabe que existe uma magia chamada "Dança irresistível de Otto", e ela era incrivelmente apelona na 3.5 por não ter resistência (só precisava passar a resistência à magia do bicho, mas ele não rolava nenhuma resistência por si). Os efeitos? A criatura afetada dança incontrolavelmente por um determinado tempo. Um dia, Astreya resolveu tentar essa magia no Balor cheio de panca que estávamos enfrentando. O mestre falou "é difícil. Só se você tirar um número muito alto no dado".

EU TIREI. E O BALOR DANÇOU FLAMENCO ♥.

Ops. Balrog/Balor errado. 
Danças à parte, demônios e diabos são meus monstros/inimigos favoritos do D&D. O segundo lugar iria para os temíveis rakshasas, mas isso é porque o pior/melhor vilão que já tivemos em uma aventura do Odin foi um desses malditos tigres de mãos viradas. Vamos deixar esta história para outra postagem... fiquemos apenas com uma imagem dos ganhadores da medalha de prata. 

Sério, eu não estou brincando. Se vir um bicho destes em Elgalor, CORRA!


4 comentários:

  1. Hahaha, sabia que algum dia um internauta colocaria o Balrog de Street Fighter lutando contra Gandalf.

    Me lembro bem da "dança épica" do Balor em nossa aventura; algo que jamais será esquecido... Eles também são meus monstros favoritos em D&D, muito por causa de O Senhor dos Anéis. Nesta categoria, gosto bastante também dos dragões vermelhos, e é claro, dos temíveis rakshasas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha, você viu, Odin? Também gosto de dragões vermelhos, mas para mim, ninguém bate os demônios/diabos em termos de malícia e crueldade! Arquétipos perfeitos do mal.

      Excluir
  2. Puxa, sinto arrepios até hoje ao ver a imagem do Chernabog! Amo Fantasia, mas aquela parte não era para criança ^^

    O meu monstro favorito de D&D sempre foi o Balrog. É até difícil explicar, mas quando aparecia, dava um medo imenso, mas a gente sempre ficava com aquela sensação de que vencê-lo seria uma coisa incrível! E era mesmo, mas muitas vezes aquela maldita espada vorpal fazia rolar a cabeça de alguém do grupo ^^

    E por Deus, se eu visse um Balrog dançando, acho que tinha um ataque cardíaco de tanto rir!!!

    Beijos da Amanda^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Amanda, eu também sinto arrepios. E não era pra criança mesmo! Eu acho que, na época, meus pais deixaram a fita rodando e eu e a minha irmã acabamos vendo XD. Era fita de locadora :D, e nós gostamos tanto que chamamos meu tio e o videocassete dele para fazer uma cópia. Mas que não era pra criança, não era mesmo!

      Nossa, nem me fale da espada vorpal, que raiva! Sempre tinha alguém que perdia a cabeça! Na quinta edição a espada não é mais vorpal, mas o Balor continua sendo super difícil. É bem isso: a sensação de derrotar um bicho desse é incrível, a gente sempre sai do combate sentindo que fez uma grande coisa \o/.

      Eu ri muito quando o Balor dançou. Até parei o que estava fazendo para tocar uma musiquinha para ele XD.

      Beijos no ♥!

      Excluir

Olá, comentários são sempre bem vindos! No entanto, postagens com linguajar muito chulo, caráter ofensivo ou preconceituoso (e todas estas coisas que pessoas adultas são plenamente capazes de evitar) serão apagadas. Trolls, só na mesa de jogo. Obrigada :).