quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

D&D 30 Day Challenge - #Dia14

Saudações, leitores lendários (os dois ou três, hahahahaha!). Sim, eu pulei mais um dia, mas era feriado, vai... eu até tive um tempinho, mas teria que fazer a postagem correndo, então preferi deixar para hoje. Mesmo porque ontem foi dia de RPG aqui em casa. Prioridades, né? Bom, mas vamos lá para mais um dia do desafio!

Lembram que eu disse que o dia 14 trazia como tema o seu NPC favorito? Como eu acabei fazendo isso lá no desafio 9, vamos trazer aquele tema de novo, que até agora estou achando um pouco vago.

#Dia 14 - Personagem favorito com o qual eu não joguei.

Vou adotar um critério aqui: falar sobre personagens de outros jogadores. Pois bem, eu tenho um problema nessa área. Já deu para perceber que meus amigolinos são bem "da zoeira", né? Portanto, eles fazem uns personagens... "peculiares" e, embora me divirtam bastante, não são exatamente o tipo de personagens que eu possa dizer que eu super curto (no sentido de gostar e se identificar mesmo). Acho que eles diriam o mesmo das minhas personagens, ahahahahahaha, que estão sempre se casando no final da aventura. Meu marido faz personagens que eu gosto bastante, mas ele joga pouco, porque geralmente está mestrando. Portanto, vou dividir este desafio em duas categorias: diversão :D e amor ♥. 

No quesito "diversão" (e irritabilidade também), meu personagem favorito foi um do meu cunhado, o infame "Aramil, O Sincero". Aramil era um elfo arrogante, metido e xenófobo, mas, admito, hilário, que andava com a gente no grupo da Astreya. Me lembro que logo em uma das primeiras aventuras, o Aramil declarou para um orc que seu cavalo se chamava Gruumsh (o deus dos orcs), para que criaturas como ele sempre se lembrassem de seu lugar abaixo dos elfos... Aramil foi um hit das Crônicas de Elgalor exatamente por este motivo. Odin chegou a fazer uma enquete lá no blog dele para saber qual era o personagem favorito das pessoas, e nosso elfo egocêntrico ganhou. Personagens de lealdade ambígua, mal humorados e engraçados/irônicos sempre fazem sucesso e, embora eu não seja exatamente uma "admiradora" do tipo, admito que a dinâmica Aramil/Oyama/Astreya era divertidíssima. Também devo admitir que são personagens difíceis de interpretar porque você sempre tem que se manter nesta "vibe" de deboche e escárnio (se bem que duvido que meu cunhado tenha tantas dificuldades... enfim XD). Eu não consigo! Sou um samba de uma nota só, minhas personagens sempre acabam caindo para o lado bondade da força. 

Aramil em trajes de banho no mundo do D&D online
Já no quesito "personagem que eu realmente amo", fica eleito o mais longevo clérigo do meu marido, Richard Pendragon. Richard era maravilhoso porque, além de ser um personagem bom, correto e legal com todo mundo, deixava todo nós vivos. Odin/Matheus sabe utilizar muito bem os poderes de um clérigo e ele nos livrou de cada enrascada... sem ele, o grupo não teria sobrevivido por tanto tempo. Houve baixas, é claro, mas teria havido mais e mais mortes sem as habilidades deste maravilhoso clérigo de Bahamut. Nara, minha personagem nesta campanha, tinha um trabalhão para afastar as celestiais que insistiam em manter contato com um clérigo tão carismático XD. (VOLTEM PARA CELESTIA, SUAS... VÃO PASSAR ÓLEO SAGRADO NO CORPO DA SUAS AVÓS!). 

A certa altura, virou piada na mesa o fato de que Richard estava sempre "ligando" para Bahamut através da magia comunhão, que permite que se faça uma pergunta para o deus do clérigo por nível. Como chegamos a níveis altos, imagine quantas questões o Dragão de Platina teve que aturar de seu mais fiel servo... 

Agora já sabem de onde Adele tirou inspiração para seu novo single
Mas o fato é que Odin/Matheus sabia fazer as perguntas certas, e muitas foram as vezes em que fomos salvos pelo gongo de Bahamut. Richard, você é o clérigo dos clérigos, e vive para sempre em nossos ♥. 

Richard afastando as sombras. A gente também imaginava ele com a cara do Tom Selleck XD. 

4 comentários:

  1. Hahaha, lembro-me das constantes reclamações de Aramil sobre como era ruim ter que andar ao lado de "não elfos primitivos". na categoria dos "divertidos", acho que ele também é o meu favorito.

    No outro quesito, meu voto vai para a monge Séfora, que foi uma personagem muito querida por conta de sua personalidade e seus conflitos entre o dever e aquilo que amava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Odin, Aramil foi indubitavelmente um dos personagens mais divertidos que já tivemos na mesa. Eu achava legal porque, apesar de toda a zoeira, trabalhávamos bem em equipe. Acho que minha aventura favorita de todos os tempos foi aquela em que Aramil metamorfoseou o rei élfico de Elvanna morto em um besouro e a Astreya pisou nele, evitando que o vilão levasse a cabeça do rei e completasse seu ritual macabro. Apanhamos feito condenados por causa disso, mas foi maravilhoso XD.

      VOCÊ GOSTA DA SÉFORA, QUE BONITINHO!!! Sim, Séfora era toda séria, comprometida com a ordem da Chama Azul e com o Templo de Darjelaan. Ela devia ter sido celibatária, mas aí você criou o clérigo de Pelor mais bondoso e doce de toda Elgalor para andar com ela. Danou-se!! Foi uma história muito legal e eu adorei interpretá-la.

      Excluir
  2. Puxa, um mago com roupa de banho, e com cabelinho de He-man ^^ Muito legal, Li!!!

    No meu caso, o personagem mais divertido foi um bardo halfling que meu marido tinha, um encrenqueiro de bom coração chamado Orswald. Ele era muito engraçado, e estava o tempo todo involuntariamente soltando a língua nas piores horas. A outra era uma clériga elfa de Mielikki que minha irmã fez... Lembro que ela era linda, sábia e muito gentil (óbvio que minha personagem E EU morriam de ciumes, mas a Elowyn era muito especial ^^

    Beijos da Amanda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha, o cabelinho de He-man do Aramil é muito estiloso...

      ♥ Bardo ♥ Halfling ♥. Como não amar, não é? Eu imagino que o Orswald devia ser muito engraçado mesmo XD. E a clériga da sua irmã me lembra muito uma clériga que minha cunhada fez quando ainda jogava, a Lena. Ela era uma clériga de Pelor e era linda, gentil e sábia também. E sim, eu morria de ciúmes da mesma forma, hahahaha! Que nome fofo Elowyn, parece o nome de uma das personagens das Crônicas de Prydain, vocês já leram? É bem legal!

      Excluir

Olá, comentários são sempre bem vindos! No entanto, postagens com linguajar muito chulo, caráter ofensivo ou preconceituoso (e todas estas coisas que pessoas adultas são plenamente capazes de evitar) serão apagadas. Trolls, só na mesa de jogo. Obrigada :).