segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

D&D 30 Day Challenge - #Dia12 e #Dia13

Opa, opa, opa, ninguém notou, mas eu pulei um dia. Ontem, domingo, acabamos saracoteando o dia inteiro e ficou difícil escrever um post. Mas hoje, em pleno carnaval, irei me redimir desta falta fazendo não só um, mas DOIS dias do desafio. 

Tá, na verdade, estou fazendo dois dias seguidos porque os desafios 12 e 13 ficarão muito curtos. Vocês verão o porquê... 

#Dia 12 e #Dia 13 - Tipo favorito de masmorra e armadilha/puzzle favorito. 

Então, o problema destes dias de desafio é que nós não jogamos tanto nesse esquema de masmorras. Eu sei que o sistema se chama Masmorras e Dragões, gente, mas por aqui não curtimos tanto ficar entre paredes, hehehehe. Portanto, armadilhas ou puzzles acabam aparecendo mais esporadicamente na mesa. 

Nós temos um jogador/mestre que adora estas coisas, mas ele mestra pouco. Ainda assim, as memórias que eu tenho em relação a masmorras e puzzles são das aventuras dele. Algumas pessoas o conhecem como Aramil, o sincero, elfo arrogante e companheiro de aventuras da Astreya XD. Ele também é meu cunhado, porque é casado com a irmã do Odin/Matheus e os dois acabaram de produzir uma linda filha. 

Enfim. Em uma das aventuras do meu cunhado, nós adentramos uma masmorra controlada por devoradores de mente. Não me lembro exatamente do que fomos fazer lá, mas estávamos com personagens antigos: eu jogava com minha ranger elfa arqueira, Nara, Matheus com Richard Pendragon, um clérigo de Bahamut, e um amigo nosso jogava com um bardo, o infame Rudolf, o magnífico. Me lembro que a masmorra era bem intrincada, mas o mais divertido é que alguma coisa aconteceu com o Rudolf e ele acabou entrando na mente/corpo de um devorador. Daí que nós tivemos um BARDO DEVORADOR DE MENTES naquela aventura, e disso jamais vou me esquecer. Rimos muito e depois ele comeu nossos cérebros (brinks. Os nossos não). 

Este é um devorador de mentes. Imagine-o cantando. Fwllwpwkf flawjdsgaaa!


Quanto a armadilhas/puzzles, me lembro de ter de decifrar enigmas e anagramas nas aventuras do nosso cunhado. O mais divertido é que ele usa de tudo, e até uma música do Daft Punk entrou na roda uma vez (aquela "Harder, Better, Faster, Stronger". Infelizmente não me lembro qual era o mistério!). Eu sempre me sinto um pouco frustrada e lenta por não conseguir resolver charadas facilmente, hahahahaha, mas ainda assim é legal. Lembro que, em uma das nossas últimas aventuras, tínhamos que adivinhar o conteúdo de uma carta que estava com boa parte dela apagada. Eu fiquei matutando aquilo a sessão inteira. Quanto mais pistas surgiam, mais coisas a gente ia adicionando à carta e o mistério ia se resolvendo.  O mais legal de puzzles e enigmas é essa aura de mistério e desafio que eles conferem à aventura. 

Quanto à armadilhas... bem, as armadilhas mais legais são aquelas que causam um grande problema ou precisam de toda a habilidade do ladino para serem resolvidas. Lembro até hoje de armadilhas terríveis na aventura do Odin. Uma nos fechou em um câmara sem ar (ou que enchia de água) e eu, ladina na época, tive que desarmá-la em poucos segundos ou todos morreríamos. Em outra ocasião, seríamos teletransportados para alguma camada do abismo (ou coisa parecida) se o ladino não achasse e desarmasse o mecanismo mágico. 


Bem, eu digo que estas são as melhores armadilhas, mas elas só são divertidas depois que se tornam memórias distantes... porque na hora, pelos deuses, o negócio é tenso! Vida de ladino não é fácil, gente!


4 comentários:

  1. Realmente, a masmorra dos devoradores de mentes foi a mais divertida de que me lembro. O enigma da carta foi o que mais gostei também. Pontos para nosso amigo "Aramil"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehe, pois é, nosso amiguinho gosta destas coisas mesmo! Quando eu erro, ele me chama mais ainda de meio-humana XD.

      Brincadeiras a parte, eu gosto muito dos seus labirintos de minotauros, Odin XD.

      Excluir
  2. Puxa, que legal! No meu caso, foi o castelo de Strahd von Zarovich, em Ravenloft, em uma aventura pronta mestrado por meu cunhado. Os enigmas das cartas eram muito bem feitos, e o clima do castelo, de gelar o sangue até do mais nobre paladino^^

    Beijos da Amanda!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UAU!!!! Tá aí uma masmorra que eu queria jogar!! O Castelo do Strahd! Como já deu para perceber, eu adoro Ravenloft e esse clima assustador! Me lembro que uma vez um amigo nosso mestrou uma aventura de Cthulhu e nós entramos em uma casa mal assombrada... senhor! Não era uma masmorra, mas foi bem divertido e de gelar o sangue!

      Excluir

Olá, comentários são sempre bem vindos! No entanto, postagens com linguajar muito chulo, caráter ofensivo ou preconceituoso (e todas estas coisas que pessoas adultas são plenamente capazes de evitar) serão apagadas. Trolls, só na mesa de jogo. Obrigada :).